Jogadores combinavam manipulação e apostas em grupo chamado ‘Lula 13’

Jogadores combinavam manipulação e apostas em grupo chamado ‘Lula 13’

Grupo de jogadores que manipulavam apostas no futebol era denominado de “Lula 13”, numa referência ao atual presidente da República que cumpriu pena de prisão por 580 pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, mas depois foi “descondenado” pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Do grupo do whatsapp “Lula 13”, criado três dias após a vitória do petista nas eleições, participavam cinco jogadores do Sampaio Corrêa, do Maranhão, para combinar sobre apostas e manipulação de jogos no Campeonato Brasileiro da Série B.

O nome de Lula é mencionado pela primeira vez quando o goleiro do grupo respondeu com uma foto do presidente e a frase “Já pode roubar?” à postagem, por Mateusinho, de uma figurinha dele mesmo segurando um maço de dinheiro.

Na sequência, em 13 de novembro, Mateusinho escreve: “Hoje o Lula tem que ganhar, pra gente ficar bem”, apesar de a eleição já ter sido realizada. Mas nesse dia ocorreu a última rodada da Série A. O grupo então combina as apostas que fariam na rodada.

Combinando a fraude

De acordo com informação do portal Uol, os prints com as mensagens do grupo foram encontrados no celular do lateral Mateusinho, um dos seus membros mais ativos, elogiado pelos colegas por ter cometido um pênalti na partida Sampaio 2 x 1 Londrina na última rodada da Série B.

“Me deu uma missão pra mim matar… ou mato ou morro, mano. Não tinha jeito mano. Eu falei: ‘Ihh, alguém vai se fud… aí, porque eu vou dar o carrinho”, disse o lateral, atualmente jogando pelo Cuiabá, da Série A.

O caso vem sendo investigado pelo ministério público, que constatou que o pênalti tinha sido encomendado pelos empresários que fraudavam partidas pra lucrar com apostas.

Os atletas que integravam o grupo “Lula 13” comemoram o pênalti, mas lamentaram que outra aposta na mesma rodada deu errado, o que causou prejuízo ao esquema.

Também integravam o grupo os zagueiros Allan Godoi e Paulo Sérgio, o volante André Queixo e o atacante Ygor Catatau, denunciados por manipulação de evento esportivo. Outros dois participantes, um goleiro e um jogador de pôquer, não foram denunciados.

Veja Também