Pais de Costinha pedem investigação sobre a morte do jogador no Mato Grosso do Sul

Pais de Costinha pedem investigação sobre a morte do jogador no Mato Grosso do Sul

Os pais do jogador Anderson Costa, o Costinha, vítima de um mal súbito durante uma partida de futebol no último dia 19, estão brigando na justiça para que a morte do filho seja investigada. A fatalidade aconteceu na cidade de Nioaque, no Mato Grosso do Sul.

Em contato com a Rádio Futebol na Canela, a mãe do jovem de 21 anos afirmou que o atleta não tinha nenhum problema de saúde e sempre fez acompanhamento médico nos clubes por onde passava. Lucilene acredita que o filho foi vítima de negligência.

‘’Eu tenho todos os exames médicos dele. Eu, como mãe, jamais deixaria meu filho entrar em uma competição com problemas de saúde. Sei que existe fatalidade, mas não é o caso. Estou lutando por investigação dos fatos, porque houve negligência absurda da demora da ambulância, que nem chegou no local, meu filho foi carregado em uma carroceria até ser socorrido’’ contou.

Lucilene acredita que a presença da equipe médica teria salvo a vida de Costinha. ‘’Meu filho foi reanimado no local, o fisioterapeuta fez todos os procedimentos que teve condições de fazer. Se tivesse ambulância, meu filho não teria ido embora, estaria aqui com a gente’’.

PAI DE COSTINHA CONFIRMA O DESAMPARO

José Soares da Costa, pai de Costinha, também falou ao programa Giro Esportivo, na Rádio Futebol na Canela.

Ele confirmou que o filho não tinha problema de saúde algum, e contou que antes da fatalidade o jovem havia recebido um convite para um teste de atletas de alto rendimento no Exército. ‘’Ele ia se apresentar agora, dia 6 de fevereiro’’.

Também segundo José, o laudo da morte do jogador apresenta que a causa da morte foi um ‘edema agudo pulmonar cardíaco’. Ele conta, em detalhes, o momento em que o filho passou mal em campo.

“O relato do Marcinho fisioterapeuta, disse que ele estava jogando e saiu para se preparar para bater uma falta. Já estava terminando o segundo tempo, aí ele deixou a bola e de repente já caiu. Acharam que era um mal estar, mas quando ele Marcinho chegou perto, viu que ele estava tendo uma parada cardiorespiratória’’ contou.

O pai ainda afirma que não houve nenhum posicionamento da Secretaria de Saúde da cidade. ‘’Ninguém nos procurou. Houve uma matéria que diz que a ambulância estava em ocorrência, mas isso a gente apurou e não é verdade. A gente tá aéreo, sem saber o que aconteceu’’.

Fonte: Futebol Interior

Veja Também